quinta-feira, 31 de março de 2011

Mudança de cenário


A maior parte dos manuais de treino, sites de recomendação ou fóruns de corrida não inclui referências sobre como conjugar mudanças de casa numa metodologia de treino. Sendo assim, resolvi preencher essa lacuna com uma fantástica combinação de treinos experimentais.

Portanto, nas últimas duas semanas aquilo de que falei, quando falei de correr, não é do exercício de sobe e desce, mais ao estilo do Ricardo e dos Censos, mas sim do método empacota, carrega e descarrega, ideal para quem quer fortalecer os músculos e o critério de decisão na hora de decidir o que vai e o que fica.
Ainda assim, consegui descobrir um forma alternativa de treino, o chamado “sprint-a-ver-se-a-caixa-não-te-escorrega-das-mãos”, muito útil em percursos escada-carro, depois de acharmos que conseguimos aguentar com determinada carga, apenas para descobrir a meio do processo que se calhar não é bem assim.

Fora isso, já estou instalado na minha residência temporária para os próximos três meses e, com uma panóplia de cenários diferentes do habitual para explorar a minha volta, a próxima meta a curto prazo já está à vista – os 15kms do 1º de Maio, em circuito pelo meio de Lisboa.

A médio prazo, para não perder o ritmo, já está marcada nova mudança (que se espera definitiva nos próximos tempos) e tudo isto sem perder de vista o objectivo central – uma maratona antes do final do ano.

Sem comentários:

Enviar um comentário