segunda-feira, 3 de janeiro de 2011

Esta não estava nos planos


Caro 2010

Foste. Já não era sem tempo. Estava farto de te aturar. Deste cabo da minha paciência, das minhas costas, do meu sono. Levaste-me ao tapete vezes a mais, mas eu tenho um feitio fdp e aqui estou eu, em pleno 2011, a escarnecer do teu esforço inglório. Sobrevivi para contar. E, ó surpresa das surpresas, para correr.
- Queres ir dar uma corrida?
Fim da manhã do novo ano. De camisola e calções emprestados, sapatilhas um número acima, eis-me lado a lado com um amigo de infância, um irmão de uma vida, a descer rumo à marginal da Granja. Como nos velhos tempos, quando jogávamos à bola numa travessa escondida no centro do Porto, ou saltávamos a vedação do liceu para dar “lições” de basquetebol, ou, ainda, saltávamos para as bicicletas e percorríamos a marginal do Douro até Entre-os-Rios.
Atravessámos a linha de comboio, ignorámos as moradias de outros tempos, passo certo, esquerdo-direito-esquerdo-direito, virámos em direcção ao mar – ei-lo em toda a sua força bruta, bravo, tomando a praia como sua, como se não soubéssemos que o Inverno não é a época mais apropriada para banhos de sol – esquerdo-direito-esquerdo-direito, o bacalhau de ontem já era, mais um pouco e do pão-de-ló rezará a história, era este o terreno que queria comprar mas o tipo abriu muito a boca, disse o Carlos, pois eu não sei ainda o que vou fazer da minha casa, respondi eu, mas as miúdas estão excelentes, nada como isto, esquerdo-direito-esquerdo-direito, estás bem?, estou melhor do que pensava, vamos pelo passadiço, o Menezes é que sabe, assim dá gosto correr, no Verão as vistas são melhores, agora percebes porque gosto de viver aqui, no fim vamos beber muita água, vem aí uma subida, vamos a isso, na vida tem de ser sempre a subir.
Após o sprint final, quando fazia os alongamentos, voltei a pensar em ti, 2010. Enquanto te expurgava através do suor, reparei que não me mataste, antes me fizeste mais forte. E sorri.
És o elo mais fraco. Adeus.

Caro 2011

Para quem se sente peixe quando está na água, correr revelou-se uma excelente forma de te começar. Agora, se me permites, vou dar um mergulho.
Aquele abraço.

1 comentário:

  1. Oi Irmão. Só foi pena que os "Shoes" não nos tenham permitido ir mais longe. Vai de certeza repetir. Salvé

    ResponderEliminar