segunda-feira, 6 de dezembro de 2010

Um prólogo com 21km*

Até há coisa de um ano e pouco correr, para mim, era um complemento de outra coisa qualquer. Fosse a preparação para o basket, recuperação de forma física, anti stress ou até fuga às autoridades, não faltavam motivos para uma ou outra corrida de ocasião.

No entanto, fui somando algumas provas, coisas leves, estilo mini-maratonas da Ponte 25 de Abril ou corridas de 10km e havia sempre aquela vozinha competitiva matreira que me ia soprando ao ouvido “Pois, tu até gostas de correr, se treinasses mais…quem sabe se não fazias melhor ou se calhar um dia até corrias uma maratona”.

E eu, que até gosto bastante da ideia de competir comigo próprio, ia-me rindo dessa vozinha. “Uma maratona, que maluqueira”, pensava eu, preocupando-me apenas com o excesso de atenção que andava a dar a vozinhas que só existem na minha cabeça.
Mas, pouco a pouco, assim de fininho fui dando por mim a correr mais, sozinho ou na companhia de amigos, poeticamente em quentes finais de dia no Verão ou em gélidos despertares de Inverno, chegando a inverter a lógica das horas de almoço a correr para, de quando em vez, correr à hora do almoço.

Ainda não cheguei à maratona pois, tal como esses míticos 42kms e mais uns pós, tudo leva o seu tempo. Mas, provando (ou não) que nem sempre as vozes que ouvimos na cabeça são sinal de maluqueira, ontem corri a minha primeira meia maratona oficial.

Pelas ruas de Lisboa, com a chuva a esperar o fim da prova para limpar à bruta os vestígios da passagem dos corredores, assim se escreveu em perto de duas horas a primeira página “séria” de uma coisa que começou por brincadeira.

*Um bem hajas ao Ricardo Duarte, que gentilmente me cedeu aqui um espacinho para ensaiar umas linhas em corrida.

1 comentário:

  1. Sérgio:
    Parabéns pela primeira meia oficial. Não deixes de levar a corrida como uma brincadeira, assim sabe-te melhor.
    Quanto aos 42 e uns pós, é continuar a treinar, que para o ano chegas lá :)
    cumps

    ResponderEliminar