quarta-feira, 22 de dezembro de 2010

Pergunta a Sérgio Costa.

Caro Sérgio:

não nos conhecemos pessoalmente, mas é amigo de um amigo, o que fará de si (pelo menos algo próximo de) um amigo. Ao ler o seu anterior post, confesso contudo, que fico sem perceber se estará a precisar de um incentivo para o convencerem a correr a maratona ou se está com receio de o admitir e depois (eventualmente) não conseguir (coisa que não creio, pois, mesmo sem o conhecer, dá-me ideia que será menino para isso).

Mas lá está, fica a dúvida: avanças ou não avanças? Em que ficamos?

Com um abraço afectuoso, e aguardando os teus preciosos esclarecimentos,

Paulo.

1 comentário:

  1. Ah, caro Paulo, dizem-me as portas e travessas da vida que, muito possivelmente, até nos conhecemos pessoalmente ainda que de forma abreviada.

    Mas, em relação ao prato principal, eu diria que o post anterior serve apenas para incentivar mais corredores ocasionais a verem na maratona um objectivo alcançável, se assim o desejarem, em vez de um evento reservado a maluquinhos.

    No que ao meu calendário diz respeito, salvo imponderáveis, não tenho dúvidas - 2011 será ano de mais meias maratonas e, na parte final do ano, abre-se a perspectiva de cumprir 1 maratona, no início de 2012 o mais tardar.

    Tudo feito para que, quando a concluir, possa pensar o mesmo que pensei quando corri a primeira meia este ano - Esta não foi má, mas a próxima será ainda melhor...

    ResponderEliminar