terça-feira, 12 de outubro de 2010

Das subidas



Conforme prometido, mudei de rota. A corrida de ontem a tarde teve direito a vista que se vê em cima. Vistas destas são um bom incentivo para correr mais e disso não me posso queixar. Mas posso queixar-me das dores nas pernas que estas grandes inclinaçoes me dão e do quanto correr ate ao topo deste vulcão extincto me fez perceber que ou começo a a treinar em terrenos mais inclinados, ou hei-de ser para sempre uma daquelas pessoas que conseguem fazer vários quilómetros, mas só em terra plana.

A rota não foi a única novidade do dia de ontem: pela primeira vez, corri com companhia (uma amiga que julguei menos dada a esta coisa das corridas mas que afinal se aguenta bem melhor do que eu). Confesso que apesar de gostar de ter companhia, tenho que me habituar a esta história de conversar enquanto corro. Sou só eu que sou muito limitada, ou falar enquanto corremos dá cabo da respiração?

Ainda assim, a decisão de ir correr logo a seguir a oito longas horas do primeiro dia num emprego novo foi acertada: nada como levar com o vento a tentar empurrar-nos para o fundo da estrada para nos esquecermos do stress das horas anteriores.

Sem comentários:

Enviar um comentário