segunda-feira, 23 de agosto de 2010

Salto quântico

Hoje o caderno de encargos sugeria o seguinte: cinco períodos de dois minutos a correr, mais cinco de um minuto, com os intervalos da praxe (um minuto a andar). Pareceu-me pouco. Por isso fiz os ditos 5x2, mais sete blocos de um minuto. No iPod, a voz nasalada do Bob Dylan (num dos melhores álbuns de todos os tempos, Blonde on Blonde) era um incentivo, não me perguntem porquê. Decidi aventurar-me numa sequência final de três minutos, para atingir pela primeira vez a marca dos 20 minutos de corrida efectiva. Será que aguento? Aguentei. E quando decidi parar, ainda com pernas para mais uns bons metros, pude constatar no mostrador vermelho a concretização de um pequeno salto quântico. Em vez dos 3,58 quilómetros de sábado, 4,73 quilómetros. Nada mau. E até tive direito a ouvir o Lance Armstrong a dizer-me ao ouvido: «Congratulations! That was your best workout so far.»
Obrigadinho, Lance. Prometo que o próximo será ainda melhor.

1 comentário:

  1. Ai que cansêra! Pior só os segundos degraus do terceiro patamar ao virar á direita da minha esc ada.


    Analfadelta

    ResponderEliminar